segunda-feira, setembro 04, 2006

Metamorfose

(com um sorriso e uma piscadela de olho à Mnemósine) ;)



Sem mais comentários: estágios diferentes em indivíduos da mesma espécie, numa coexistência pacífica.

7 comentários:

MySelf disse...

Benvinda das férias! Muita inspiração?
Beijinhos

greentea disse...

seria o momento astral que ditou essa coexistencia pacifica?

ou talvez não...

beijinhos, maria.

O Baleal está na mesma ou já acabaram os carros pelo areal? Li qualquer coisa no blog do arre.burro...

António Rosa disse...

Maria,

No meu blogue escreveste isto: "Não é que eu não tenha uma ideia própria sobre isso mas gostava que me falasses, em poucas palavras, do que entendes por "o anel do coração?"

Vou tentar explicar a minha ideia, que tu já praticas, pelo menos aqui no blogue.

Tento fomentar, como prática habitual, aquilo em que acredito. Chama-se “Ciclotron do coração” e que, numa linguagem menos de física quântica, poderíamos traduzir por “Anel do coração”.

Todos nós emitimos, sem nenhum esforço, uns impulsos electromagnéticos que a partir do nosso coração (e do nosso chacra cardíaco) vibram à nossa volta e, naquilo que fazemos, pensamos ou dizemos, e que são facilmente captados pelos outros, quer estejam perto ou à distância, e que poderão ou não reagir também pela positiva, fomentando por sua vez, os seus anéis do coração e assim podermos viver uma vida melhor, menos agreste [que para isso já basta a própria vida!], mais pacificada e, se possível, harmoniosa, sem nunca deixarmos de aprender as lições que escolhemos viver nesta reencarnação.

Certamente conheces a bandeira dos jogos olímpicos com os 5 anéis de várias cores. Imagina uma rede dessas, com esses anéis todos entrelaçados, até ao infinito. Poderíamos chamar a estes anéis na sua totalidade a "esfera da vida". Seria a presença de Deus em nós. O importante é acreditar. Crer. Sentir. Sentir essa crença em nós. Se é baseado em Jesus, Buda, ou Maomé, ou num calhau, ou num passarinho que passa, é exactamente igual. Tudo é Vida. Desde que aceitemos essa crença, seja ela qual fôr.

Na prática como funciona? Vou dar os teus próprios exemplos:

Aqui neste post escreveste: "com um sorriso e uma piscadela de olho à Mnemósine". Isto dispõe bem. Estás a abrir o teu chacra cardíaco e a emitires uma onde circular que ela receberá, com agrado. E correpsonderá. Ao ler a tua frase, ela acciona também o seu ciclotron do coração e será gentil com otra pessoa.

Esta frase também é tua: "Perante tal beleza e ao som do mar que me embalava, a tua ausência não passava de um pormenor sem importância." Excelente. Nem necessito de comentar.

Espero ter conseguido responder.

Sobre o e-mail que me enviaste. De acordo. Fá-lo-ei. Vai é demorar um bocadinho, para aí umas 3 semanas.Ma eu repsonderei ao e-mail, a explicar melhor.

Um abraço

António

Maria P. disse...

Bem-vinda! E que belo regresso!

Beijinho:)

Anónimo disse...

Após o Atlas Santiago Toural, Mnemósine a quem lhe deve aquela imensidão tem muito, muito por viajar ;)

Paulo Cunha Porto disse...

Querida Maria:
A Tua Mão Mágica até conseguiu mostrar beleza naquele a que faltam as asas: as cores vivas que o isentam do mau conceito que, habitualmente dele se faz, por sinuoso e rastejante.
Bem hajas. É Destas Presenças que este velho pessimista e admirador Teu precisa.
Beijinhos.

Mnemósine disse...

Maria, fiquei enternecida com a piscadela de olho. A imagem e a metáfora. Vou a dar a volta á minha colecção, porque, no mínimo, só me apetece retribuir a piscadela...
beijos, sorrindo