sexta-feira, outubro 06, 2006

Espelho líquido


Assombro desmedido.

Pura magia?

Esfrego os olhos.
Fechos-os por um instante.

Volto a abri-los.
Deslumbramento.

Será que a natureza teima,
até à exaustão,
imitar a arte?

(Ironicamente, aqui reproduzo "a arte a retratar a natureza a imitar a arte")

12 comentários:

Besnico di Roma disse...

Gosto desta fotografia, “um espelho do céu”
Bom fim de semana.

d.e. disse...

Maria:
Gostei desta. Depois de tantos debates em arte sobre a imitação da natureza, é agora a mãe natura
que decide imitar a arte. Liberdades de poetas, subversão. Mas é para isso mesmo que nós os queremos.
Um abraço,

canela_e_jasmim disse...

A mão do Divino,em que imitando e imitado se confundem sempre, na eterna dança do Belo!

beijos

Luís disse...

Dá vontade mergulhar nesses espelho. Pode ser que me encontre nas suas profundezas.

Post 5 estrelas!

Maria P. disse...

Gosto de espelhos liquidos.

Boa semana:)

L. Rodrigues disse...

Uma coisa é certa, a Natureza não imita a Arte.
A Natureza tem mais que fazer.

maria disse...

As certezas que tu tens, Luís! És assim em relação a tudo? :)

João Villalobos disse...

Ou, como escreveu Ungaretti:
Ilumino-me d'imenso! :)
Bjs

L. Rodrigues disse...

Maria,
Respondi no meu blog, mas em síntese a resposta é: não.

maria disse...

Querido João Villalobos,

Ungaretti escreveu versos muito bonitos. Escolhi este para ti:

"Con la mia fame di lupo
ammaino
il mio corpo di pecorella
Sono come
la misera barca
e come l'oceano libidinoso".

;)
Um beijo.

maria disse...

Amigos
besnico di roma, d.e., canela e jasmim, luís, e maria p.,

obrigada pelos vossos amáveis comentários.

Beijos.

João Villalobos disse...

Obrigado Maria,
Já respondi no Prazeres mas repito aqui: Escolha muito apropriada :)
Bjs