sábado, abril 21, 2007

Quando os "sentires" (quase) podem ser gémeos


A minha amiga Maria, homónima, vizinha e cúmplice no(s) sentir(es), tem no seu Cheiro da Ilha uma lindíssima imagem que, mais uma vez, me dá que pensar, de tão sentimentalmente geminada com esta, captada pela objectiva do meu pescador. Ambas tiradas de dentro para fora, em espaços igualmente amados por ambas. No caso da sua, "Sentidos", estamos na Ilha da Berlenga, no interior de uma gruta, e vemos , através do arco esculpido pela natureza, o Forte de S. João Baptista, um barco e o mar... esse nosso eterno apaixonado e elemento desencadeador de paixões outras...

Nesta, estamos do lado de dentro da Fortaleza de S. Pedro em Peniche, na prainha do mesmo nome e, através de um arco esculpido pelo homem, vislumbramos, do lado de lá, um outro barco e o mesmo mar, imenso e profundo... esse nosso eterno apaixonado e elemento desencadeador de paixões outras...

Gloriosas coincidências!

14 comentários:

Maria disse...

Querida Amiga

E ainda dizem que não há coincidências...
Neste caso acho que são os nossos "sentires" que são idênticos, amamos os mesmos lugares, temos pelo mar um amor eterno e pela ilha a paixão que só quem a conhece pode entender.
É linda esta tua foto. Custa-me imenso ir à Fortaleza, por razões que poderás compreender se nos reportarmos há 33 anos atrás, razão por que não tenho essas "curvas" bem exploradas em fotos.
Um dia terá que ser. Não sei quando. Mas um dia...

Beijos, Maria

Maria disse...

Aguçaste a minha curiosidade e fui "cuscar" o blog das fotos.
Agora estou a comentar algumas...

Beijos

M. disse...

E tão bonitas ambas as fotografias.

Luís disse...

Há sentires assim. E é tão bom quando descobrimos a sua proximidade...

João Villalobos disse...

Uma visita para devolver o beijo. E para dizer que gostei muito do post abaixo :)
Até breve, I hope

bettips disse...

Que lindo exemplo de pensares/mares nos dão! Esta rosa creme, conheço-a. Hoje deixo-lhe um beijo grande e um AVÉ MAR!

Salsa disse...

Bela foto, belo blog.

amita I disse...

Olá Maria
Não se explica. Sente-se. E é pelo Nada e pelo Todo que a comunhão faz a diferença.
Com muito carinho, um bjo e um dia de Sol

Boo disse...

Querida Maria,

É por causa de pessoas como tu que me dá um enorme prazer partilhar todas as fotos que vou tirando...

Os teus comentários sensibilizam-me e fazem-me sentir que vale a pena mostrar, através de imagens, o que vou vendo e/ou me diz algo!!

Beijinhos grandes

Juda disse...

So me faltava isto... olhei a foto e comecei a comer as palavras, sei decor onde é esta imagem, tenho amigos que conhecem bem esta imagem.

Quem vai a Peniche deve visitar o forte, já o fiz varias vezes, a ultima com a minha filha, a meio da visita ela disse: Ó pai não dizes nada?? Não respondi, podia dar nas vistas, sempre que vou á quele local entra um parasita voador num olho.

Um abraço...

Maria P. disse...

São fantásticos estes sentires.

Um beijinho*

Ana Prado disse...

E bastariam essas coincidências para a blogosfera fazer tanto sentido.

um abraço grande

Isabel José António disse...

Cara Amiga Maria,

Fotos captadas de um ângulo ou outro, dão quase o mesmo resultado, porque no mar, na natureza e na harmonia que os elementos representam, enquanto interagem uns com os outros (mesmo que seja uma tempestade, bela na sua dureza)está o segredo duma VIDA que é UNA, sem todas as suas variações.

Um grande abraço

Parabéns.

José António

joão marinheiro disse...

Olá, nem sabes das memórias de peniche e da berlenga que se afundam deste lado...
Abraço enquanto preparo o barco.