segunda-feira, dezembro 03, 2007

Rosa-sem-espinhos (trepadeira volta a florir)


É inacreditável! A trepadeira de rosas-sem-espinhos, que deu nome a este blogue e da qual vos falo logo na abertura do mesmo, voltou a florir, ao fim de muitos e muitos anos, confundida que deve estar com este Verão que aconteceu ao longo de todo o Outono e com esta (imaginada por ela?) Primavera. Não sei como descrever o que senti, no fim-de-semana que findou, quando me deparei com este pequeno "bouquet" e mais uns quantos botões a despontar... voltei à infância, por uns segundos, e pela janela aberta do meu quarto deixei que entrasse o inebriante perfume da minha especial e única rosa-sem-espinhos. Aqui deixo a sua imagem que, com a maior alegria, partilho com os meus amigos.

12 comentários:

Graça Pires disse...

Chegou-me o perfume da tua rosa-sem-espinhos. E também eu voltei à infância... Um beijo, Maria.

Maria disse...

Que bom esse sentimento que experimentaste... é bom voltar à infância, ainda que apenas por momentos...

Beijo, Maria

Licínia Quitério disse...

Um presente de vida, Maria. Saboreia-o.

Beijo.

Rosmaninho disse...

Maria,
Bem a mereces "assim florida"!
L'important c'esta la rose ...
Oui, oui.

Rosa dos Ventos disse...

Obrigada pela bela e perfumada partilha!

Um abraço

Bichodeconta disse...

É o ciclo da vida que se repete em cada momento.. linda a foto, parabéns..

bettips disse...

Espanto e encanto, Maria.
Parece-me sentir o que descreves...
Acho que a deves fotografar mais!
Beijinhos

Vasco Pontes disse...

Olá maria,
Rosa sem espinhos, sim. É assim que (também) te chamas.
beijos e beijos

M. disse...

Grata pela partilha. Linda a rosa.

addiragram disse...

A tua alegria e emoção chegaram cá a este lado, com o cheiro...Um abraço

Luís disse...

Encantadora Maria: a tua rosa sem espinhos!

Encantadora, Maria, a tua rosa sem espinhos :)

Besnico di Roma disse...

Haverá Rosas sem espinhos!?… não importa, não quero saber a resposta.
Mas quanto a teres sentido, por breves instantes, que regressas-te à infância, isso sei o que é.
Sabes eu ainda não sou adulto, recuso-me, sou apenas um menino velho e sinto-me bem com isso. Acho que vou morrer de calções e a fazer traquinices.
Um beijito