terça-feira, fevereiro 12, 2008

Re-flectir

Pintura de Júlia Calçada - JC

Flectir.
Re-flectir.
Repetir a flexão. Uma vez, duas... mais dez. Só mais dez.
Outra vez: uma, duas... e dez.
O espelho devolve-me a imagem:
cada gesto, cada passo, cada sorriso ensaiado.
Um corpo que, maquinalmente, flecte e reflecte. Uma alma que o vê reflectido na crueza do imenso vidro espelhado para que, em consciência, nada se perca, nenhum movimento falhado, no reflexo, como na vida.
Cansada, sento-me no chão.
Dou por mim a reflectir na rotina de mais um dia de treinos.
Assim tem sido nos últimos 20 anos. Hora após hora, dia após dia.
Momento de reflexão. Não de arrependimento, não de desespero.
Adoro o que faço. Foi para dançar que nasci. É para bailar que vivo.
As noites de espectáculo, essas são sublimes. As luzes iluminam o palco e seguem a dança deste meu corpo, ao som da música que o transporta, que o eleva, que o faz executar o bailado, como uma gaivota num voo planado: sem fadiga, sem esforço, com um sorriso autêntico desenhado nos lábios, com um brilho verdadeiro reflectido no olhar.
Vem a apoteose, o aplauso entusiástico do público. Os sinceros "bravo" de quem apreciou. As flores a meus pés...
Reflicto: a vida pode ser bela. Uns minutos de felicidade apagam toda a mágoa acumulada ao longo de dias de ensaios intensivos e de noites infindáveis, sem dormir.
Quando danço, quase esquecida que o faço, reflicto a minha maneira de ser, de pensar, de sentir. Sou eu toda, ali, sozinha, perante uma plateia que me observa atentamente.
É nesses momentos que estou, afinal, a reflectir o meu verdadeiro íntimo, para o exterior, como uma dádiva, que estou a libertar os meus fantasmas, medos, desânimos. Também a minha alegria de viver, a paixão pela dança, a razão da minha existência...
Nessas ocasiões não reflicto. Liberta de barreiras, apenas sou.

9 comentários:

Maria disse...

A sensação boa de receber num aplauso o carinho do público afasta todo o cansaço....
E a dança é liberdade total, é quase voar, Maria!!!!

Um beijo

carteiro disse...

Nem sequer há reflexão que encaixe em momentos desses, feitos apenas para sentir... no expirar depois de toda uma inspiração que um dia possa ter sido menos regular.
Gostei muito destas tuas palavras.
Um beijinho.

Graça Pires disse...

Liberta de barreiras, apenas sou.
Maria, gostei tanto deste texto.
Um beijo.

M. disse...

Gostei muito da reflexão que associaste à belíssima pintura. Ambas têm alma.

Rosa dos Ventos disse...

E ajudas os outros a serem eles mesmos!

Abraço

MySelf disse...

Maria, os teus textos surpreendem pela beleza que transmites nas palavras.

Beijinho

Bichodeconta disse...

Dificil ser, num mundo onde a maioria se preocupa com o parecer.. Parbéns..boa semana..

alice disse...

vim reler, reflectir e renovar os votos do seu regresso :) beijinhos

Ana disse...

Olá Maria,

Dança, música e poesia são das coisas mais fantásticas que se podem fazer, pois conseguem trabalhar não só o nosso corpo mas também encher de significado a nossa alma e coração.

Adorei este post e esta re-flexão.

Um beijo doce