sábado, janeiro 31, 2009

Utopia


Fotografia de António Calçada - "Mar de Inverno na Areia Branca"

Nasci das ondas do mar
as conchas foram meu berço
que o mar sereno embalou;
as algas de verde me vestiram
e o azul do mar trouxe os laços
com que me enfeitou.
Na espuma branca e leve
espalhada na praia me sentei
e o mar inquieto a chamar por mim
estendeu-me os braços,
pr'a longe, muito longe me levou.
Por sobre as ondas andei
nas águas do Oceano,
ouvindo do mar o canto
de tudo alheia, esquecida
de que algures n'outros lugares
também havia vida
debaixo do mesmo céu.
Agora, nada parecia ter fim,
o sol era só meu,
as estrelas luziam só p'ra mim
.... a luz do meu engano.
Subi na crista das ondas,
nelas a sede matei,
mas foram elas que um dia
só, na praia me deixaram
com a fria nudez do desencanto.
E os meus sonhos de menina,
a morrer de nostalgia,
chorando,
ali na areia ficaram.

Maria Teodora (Novembro de 2008)

2 comentários:

Maria disse...

Não sei por onde me fique, se a olhar o mar se a sorver as palavras...
Uma beleza, Maria!

Beijos para ti e autores da foto e poema.

maria carvalhosa disse...

Respectivamente meu pai, que hoje completa 79 anos, e minha tia, que tem a bonita idade de 84. Sei que sou uma pessoa de sorte, por ter esta família maravilhosa que, dia após dia, não pára de me surpreender. Obrigada pelo teu comentário, querida Maria, minha homónima, vizinha, cúmplice e amiga do coração.
Beijos mil.