sexta-feira, setembro 15, 2006

...uma chave perdida...


Fotografia de Sandra Farinha*
* para ver mais fotos desta autora, clicar em "Olhar Atento", nos meus links.


A velha porta.
A tua alma.

A vontade de transpor o limiar e descobrir o que a misteriosa barreira encerra.
O desejo de ler os teus pensamentos e conhecer os segredos que, no teu espírito, laboriosamente se escondem de mim.

A certeza de que a chave existe.

Ajuda-me, por favor.
Por onde devo começar a busca?

18 comentários:

Anónimo disse...

esta porta tranca muitas histórias... de um lado a protecção de sonhos, do outro a partida à descoberta.

jokas
SF

Licínia Quitério disse...

Busca saber se queres mesmo transpor a porta.
Beijos.

Ana Prado disse...

Ah... as dúvidas de todos nós...
beijos :)

prologo disse...

Eu disse que dizia mas não sei se diga o que devo dizer. Porque gosto de portas fechadas enquanto estão fechadas e depois, quando já não estão fechadas, não sei. É que tenho encontrado mais coisas boas atrás de uma porta fechada enquanto está fechada do que depois...

the postman disse...

Para lá dessa porta pode estar o sonho, ou pelo menos assim o sonhamos.
A busca talvez tenha começado antes de o pensarmos...

P.S. Obrigado pela passagem no meu blog e pelos elogios deixados.
Também já te incluí nos meus links.
Bom fim-de-semana.

Maria P. disse...

Gostei imenso.

A busca já começou, antes do "buscar" existir.


Bom fim de semana:)

Maria Costa disse...

Excelente foto.

canela_e_jasmim disse...

A eterna busca!

Viver é procurar até à exaustão.

beijos grandes minha amiga

Viajante disse...

E se não procurares a chave?
Se "apenas" te dispuseres a estar? Talvez a chave seja daquele estranho tipo que se esconde quando é procurada, e aparece misteriosamente quando a busca se queda. É outra forma de busca, singelamente :))

maria disse...

Agradeço os comentários a todos os amigos que aqui os deixaram.

Em nome da Sandra Farinha agradeço à Maria do Céu Costa o elogio à fotografia.

Bjos.

Anónimo disse...

As fechaduras da Terceira são um bocadinho nada diferentes. Também a chave.

maria disse...

Queres explicar as diferenças, Anónimo?

Rosmaninho disse...

Passa o portão (do Rei) e encontrarás a chave dourada dentro do teu coração.
Ao tocar-lhe, de mansinho, a Luz invadirá todo o teu Ser e ficarás extasiada com a transmutação dos segredos nos anéis do arco-iris. Estende os teus braços e voa para ele (que tal o anil?) e balouça os teus olhos pelo Universo do Amor. Verás que é fácil passar o portão. É só querer.
Do Fundo do Coração.

Anónimo disse...

Estas, primas das fechaduras de Cedro do Corvo, foram as únicas que se deixaram apanhar na net:

http://caminhandopelaterra.blogspot.com/2005/03/blog-post_111129553274468739.html

e o reverso:
http://caminhandopelaterra.blogspot.com/2005/03/blog-post_111129521534488327.html

e mais:
http://caminhandopelaterra.blogspot.com/2005_03_01_caminhandopelaterra_archive.html

maria disse...

Caros amigos,

Os meus agradecimentos a TODOS pelos vossos comentários, conselhos e sugestões. São sempre bem-vindos e muito apreciados :).

Beijos.

Cigano Manuel disse...

Transcreve-se uma msg recebida:
"A porta simboliza o local de passagem entre dois estados, entre dois mundos, entre o conhecido e o desconhecido, a luz e as trevas, o tesouro e a pobreza extrema. A porta abre-se sobre um mistério. Mas ela tem um valor dinâmico, psicológico; pois não somente indica uma passagem, mas convida a atravessá-la. É o convite à viagem rumo a um além... A passagem à qual ela convida é, na maioria das vezes, na acepção simbólica, do domínio profano ao domínio sagrado. Assim são os portais das catedrais, os torana hindus, as portas dos templos ou das cidades khmers, os torii japoneses etc. Nas tradições judaicas e cristãs, a importância da porta é imensa, porquanto é ela que dá acesso à revelação; sobre ela vêm se refletir as harmonias do universo. As portas do Antigo Testamento e do Apocalipse, ou seja, o Cristo em sua majestade e o último Julgamento, acolhem o peregrino e os fiéis. Suger dizia aos visitantes de Saint-Denis que convinha admirar a beleza da obra realizada, e não a matéria de que havia sido feita a porta. Ele acrescentava que a beleza que ilumina as almas deve dirigi-las no sentido da luz, cuja porta verdadeira é Cristo. Se Cristo em glória é representado no alto dos frontispícios das catedrais, é porque ele próprio é, de acordo com o mistério da redenção, a porta pela qual se chega ao Reino dos Céus: Eu sou a porta, quem entrar por Mim, será salvo (João 10,9)"

Besnico di Roma disse...

Excelentes fotografias.
Com toda a sinceridade, gostei muito to teu “blog”.
Acredita que, mesmo não te conhecendo, estou feliz por teres “quebrado grilhetas, perderes medos velhos e dares asas à tua vontade de saíres da escuridão” (palavras tuas)
Depois disso ainda achas que precisas da chave?... mas se estiveres mesmo segura de que pretendes entrar… podes sempre recorrer a um serralheiro.
(nem eu compreendo porque às vezes sou tão desagradável… talvez seja uma forma de defesa para males que só eu conheço)
Beijitos

maria disse...

Cigano Manuel,
Obrigada pela transcrição do trecho do Evangelho de S. João.

Besnico di roma,
Não temas ser desagradável. Eu chamo a isso ironia ;}.

Beijinhos.