segunda-feira, outubro 20, 2008

A tradição da doçura de Outubro


Fotografia de António Rodrigues

"Outubro é o mês mais doce", repito em cada ano que passa.

Eu não sei porque amo assim Outubro, por que razão, neste mês de Outono, me sinto particularmente amada e feliz, por que gosto de tudo e de todos como se do primeiro, ou do último, mês da minha vida se tratasse. A verdade é que, invariavelmente, quando chega esta época, sinto uma vontade imperiosa de o assinalar, de o deixar registado, para a posteridade, não vá algum dia esquecer-me de que sempre assim senti.

30 comentários:

Maria disse...

Também gosto de Outubro.
Mas pode um mês, este, ser doce e violento ao mesmo tempo?

Um beijo, querida Maria

maria carvalhosa disse...

Pode sim, minha querida. Julgo ler-te nas entrelinhas e sentir que já passei por algo de muito idêntico ao que não dizes, dizendo...
A telepatia, connosco, funciona mesmo, podes crer!
Beijos, Maria, minha amiga.

júlia calçada disse...

Tens sempre a forma exacta e bela de transmitires o que te vai na alma!
Mas o teu grandioso registo da perpetuação desse sentimento nasceu neste doce mês.
A fotografia do António, como sempre, está fantástica!
Obrigada pela tua apreciação do "Look at me #2", estava com algum receio.
Beijos, muitos.

MySelf disse...

Querida amiga, consegues sempre colocar nas palavras o que muitos de nós sentimos...

Um Beijinho

maria carvalhosa disse...

Querida Júlia,

Obrigada pelo teu comentário, tão carinhoso.
É bem verdade que foi neste mês que nasceu o meu filho António: uma das maiores riquezas da minha vida! O outro tesouro, o primeiro, a minha filha Sara, nasceu em Fevereiro que, como sabes, também é o meu mês de aniversário. Mas então por que não amo Fevereiro como Outubro? Seguramente não tem a ver com isso... talvez eu nunca venha a descobrir qual a razão.

Por outro lado, a Tmara, num comentário que deixou no meu espaço do multiply, tocou ao de leve na ferida... se é que isso se pode chamar ao que sinto. Não sei, mas pareceu-me que ela tinha andado muito próxima do sentimento que me impele a escrever, todos os anos, sobre o fascínio que este mês exerce sobre mim.

Passo a reproduzir o texto escrito por ela:

"percebo teu sentir. á minha maneira, mas percebo. Outubro é talvez o último mês em k, em termos de clima, uma doçura circula no ar sabendo nós k virá o Inverno, os dia mais curtos, o tempo em k a vida hiberna e nós, humanos também já hibernámos na profundidade das cavernas, dormindo quase todos o tempo, esperando o retorno da luz, do calor e o germinar da vida. Há atavismos k emergem mais numas pessoas do k noutras ou com diferentes expressões. Há quem receei e tenha cíclicamente depressão outonal.
Não é o teu caso. Sente o final do Outono como promessa de recomeço do ciclo da vida."

Beijos para ti. Muitos.

maria carvalhosa disse...

Querida amiga "Myself",

É tão agradável saber que, quando alguém me lê, (alguém que importa para mim, alguém que considero como amigo/a) sente o que escrevi como se tivesse sido escrito por si
próprio/a. Já não é a primeira vez que isto sucede entre nós duas. Eu identifico-me com algo que encontro numa das tuas fotografias e escrevo como se tivesse sido tirada por (ou para) mim... tu lês-me e identificas-te com o significado das minhas palavras...
É muito bonito isto, minha amiga!...

Beijo-te com o carinho de sempre.

Maria P. disse...

Sinto assim o Outono, não o Outubro em particular...Maio é o meu doce mês...:)

A fotografia é excelente!

Beijinho*

maria carvalhosa disse...

Maria P., minha querida amiga,

A sensibilidade artística toma as formas mais variadas, de acordo com as aptidões/vocação/gostos do autor. No teu caso, o da arte fotográfica, a tua câmara consegue captar um Outono que só tu vês, só tu conheces, só tu sentes, verdadeiramente... os outros, como acontece comigo em relação às tuas fotos, limitam-se a indentificar-se com o que tu nos dás. E é lindo, podes crer!
Beijos grandes.

Graça Pires disse...

O mês de Outubro: doce como os frutos que amadureceram. Doce como a lembrança dos afectos. Doce na tua memória... Tabém gosto deste mês.
Um beijo Maria.

maria carvalhosa disse...

Gostei do teu comentário, Graça.
Compreendes-me bem, tal como eu julgo compreender-te (embora os teus poemas, devido à elaboração que colocas na sua construção, se tornem de leitura mais complexa, porque mais erudita).
Obrigada, minha amiga.
Beijos.

TINTA PERMANENTE disse...

Parece que é no Outono que a natureza amadurece os sabores, os sentidos e a luz. Também acho...

abraços!

maria carvalhosa disse...

Sabia disso!... Não me perguntes porquê!
Um abraço e um beijo.

Maria disse...

Passo hoje aqui para te deixar um abraço especial de mãe!
Parabéns ao teu filho, e a ti.

Beijos, Maria

maria carvalhosa disse...

Obrigada, Maria, minha querida amiga. És formidável! Nunca te esqueces.
Beijos e muitas felicidades para ti.

Licínia Quitério disse...

Para que conste, aqui fica o registo do teu amor por este tempo-mês. Bonito, Maria, bonito.

Um beijo grato.

maria carvalhosa disse...

Obrigada, Licínia.
Um beijo terno para ti.

Patanisca disse...

Ai é tão bom que te sintas amada e feliz. De certeza que vais ter muitos mais anos em que esse sentimento vai crescer e expandir-se pelo universo sem necessidade de riscares o tronco das árvores para o assinalar.

Gostava muito de te conhecer um dia destes.

Beijinho

maria carvalhosa disse...

Olá Teresa Sofia,

Tanto quanto julgo saber, e se as perspectivas se concretizarem, conhecer-nos-emos muito em breve.

Até lá.
Um beijinho.

dona tela disse...

Olhe, desta vez deu-nos para sonhar...

Muito obrigada por todas as atenções.

O Profeta disse...

A Lua sangra no celeste
Aprisionada está a razão
Olhos sem a virtude da luz
Uma fria pedra no coração

Um banco de jardim
É leito do rei da sarjeta
Almofada de encardido cartão
Acomoda esta carcaça inquieta



Bom domingo



Mágico beijo

Graça Pires disse...

Agora já estamos em Novembro Maria.
Quero agradecer-lhe mais uma vez a divulgação que faz da minha poesia.
Um beijo.

maria carvalhosa disse...

Obrigada, profeta.
Votos de uma boa semana.
Beijos.

maria carvalhosa disse...

Querida Graça,
Pois é, amiga, já estamos em Novembro... esse mês sombrio que se segue ao doce Outubro.

Não precisas de me agradecer seja o que for. Sabes, pelo contrário, que constitui para mim um enorme prazer e um privilégio o facto de poder divulgar-te.

Agora um pedido: por favor, não sejas cerimoniosa comigo. Penso que costumavas tratar-me pot tu, como eu a ti... estranhei hoje o tom, que senti algo "distante", nestas tuas palavras.

Já agora, perdoa utilizar este meio mas... podes confirmar-me se recebeste os acessos, via mail, para o outro espaço?

Obrigada por tudo.
Beijos.

Graça Pires disse...

Olha Maria, já me ri, porque é assim: trato uns por tu outros por você e já baralho tudo. Não estou nada distante nem cerimoniosa.
Não recebi via mail os acessos para o outro espaço.
Olha, Novembro é o meu mês. Apesar de sombrio é a altura em que os crisântemos são mais brancos.
Um beijo e bem-hajas.

Rodrigo Rodrigues ("Perdido") disse...

Gosto muito de Outubro em Novembro. Quando estou em Outubro é chato. Mas, logo que passo para Novembro, fico com saudades.

É a vida!

maria carvalhosa disse...

Ai, Rodrigo, detesto que sejas tu a apanhar com isto mas é verdade:
detesto qundo alguém diz, comiserado com o que tem: "é a vida".
Logo havia de te calhar a ti,"Perdido", que acho que és a antítese do malfadado destino...
Assim calhou.
O fado, neste caso, falou mais alto.

Um abraço, "compadre".

dona tela disse...

Convido para fazer uma experiência lá no meu sítio. Olhe que é muito giro!
Respeitosos cumprimentos.

Vieira Calado disse...

Por aqui no Algarve também.
É um dos meus preferidos.

Cumprimentos

maria carvalhosa disse...

Dona Tela,

Lá irei, cara amiga.

maria carvalhosa disse...

Vieira Calado,

Ah, Outubro no Algarve! Que doçura na Manta Rota e em Cacela Velha!...
Saudades dos tempos em que podia lá ir em Outubro!...

Um abraço.