terça-feira, julho 24, 2007

Paráfrases, a seis mãos... três pares de asas

NOTA: Este post foi inteiramente "roubado" ao blog Voo de Dédalo, da minha amiga Esvoaçante.

Dá-me a tua mão:
Vou agora te contar como entrei no inexpressivo que sempre foi a minha busca cega e secreta.
De como entrei naquilo que existe entre o número um e o número dois, de como vi a linha de mistério e fogo, e que é uma linha sub-reptícia.Entre duas notas de música existe uma nota, entre dois factos existe um facto, entre dois grãos de areia por mais juntos que estejam existe um intervalo de espaço, existe um sentir que é entre o sentir-nos interstícios da matéria primordial está a linha de mistério e fogo que é a respiração do mundo, e a respiração contínua do mundo e aquilo que ouvimos e chamamos silêncio.

Clarice Lispector ( A paixão segundo G.H.)
------------

Dá-me a tua mão:
vou contar-te como procuro e temo encontrar, sei do som dos passos e
ensurdeço ao amanhecer. De como se sente o estalejar dos minutos e o
latejar dos dias.

Dá-me os teus olhos:
vou agora deixá-los percorrer as paisagens de olvido e de segredo,
desvelá-los nas profundezas de um azul sombrio.

Dá-me os teus braços:
vou agora acolher-me neles, como em muralha inexpugnável e imune ao
passar dos tempos.

Não, não me dês nada do que é teu e te faz falta.
Podes vir a dar contigo como cidadela desconstruída e exposta às
estrelas.

----------

Dá-me a tua mão.
Olharei, com todo o furor do meu pensamento, para os teus dedos.
Escolherei, para cada um, a nota musical adequada à frequência que
ressoa no meu coração.

Dás-me cada dedo
E as notas que eles tocam nada mais são que pedaços da minha pele,
cuja cor se altera mesmo antes de ser atingida. Não são teclas
monocromáticas nem cordas que se/me prendam...
O que me dás
É aquilo que me transforma e emudece. E basta-me o quase toque de
um dedo da tua mão para que a ilusão de que sou inatingível
desapareça.

Dar e ser
Tendem a transformar-se em tons e meio tons que formam escalas
e escadas. Damos e somos. E sonhamos.
(Carteiro) ou Senhor dos Selos

--------

Dá-me a tua mão:
saberei encontrar o caminho
dos segredos que guardamos.

Dá-me o teu sorriso:
encontrarei a alma pura
da água que corre da fonte.

Dá-me o teu olhar:
conseguirei rasgar as núvens
e alcançar o céu, lá,
onde é mais azul.

33 comentários:

Maria disse...

Belíssimo post.

Um beijo

Perdido disse...

Dá-me a tua mão
e leremos divertidos a sina
do universo

Dá-me o teu sorriso
e com o meu derreteremos o gelo
do universo

Dá-me o teu olhar
e atrai-me intensamente
para o abismo dos teus olhos
onde residem os mistérios
do universo

(Beijinhos...
... Ah, e escreve! ... na volta do correio).

APC disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
APC disse...

Dá-me a tua mão...
E cada linha da palma
E cada linha da alma
E cada linha de expressão

Dá-me esse tempo
O dos cansaços a dois
O dos descansos depois
E o teu olhar de menino
E o meu olhar sem caminho
E o caminho na mão

Dá-me o sorriso
Que era meu pela manhã
E me fazia sorrir
Até um dia eu partir
Fora das linhas da mão.

Perdido disse...

Voltei apenas para agradecer o teu inteligente comentário. Só um comentário ao comentário. Dizias às tantas:

"E o momento pode passar... "

E não é que passou mesmo? Passa sempre. É o que tem de aborrecido.

Descobri, entretanto, que a tua queda para parafrasear tudo e mais alguma coisa ajuda o momento a retornar... e retornam também os amigos e a partilha.

Comoveu-me a paráfrase (prefiro partífrase) da apc. Tem um sentimento muito profundo que me tangeu as cordas da sensibilidade ... que inda agora estão a vibrar ( e se eu sou pouco dado a sensibilidades, que lamechices não é comigo. Gosto de umas larachas para aqui, outras para ali, nada de muito sério, tudo à leviana. Aquilo mexeu mesmo comigo!).

Podíamos desafiar os outros blogueiros a partifrasear o "dá-me a tua mão" e fazer uma colectânea. Tem mais piada do que aqueles postes em cadeia do agora nomeio mais cinco, e envia cinco euros que vais ficar rico e eu sou a D. Branca, sexo ao vivo e em pirâmide. porque espalhar memes é como espalhar genes. Tem rituais de encontro, de enamoramento, pavoneamento, esperas e recusas, agressividade intra-específica, e rendição final. E o sucesso nem sempre é seguro.

Voltei apenas para agradecer o teu inteligente comentário e, olha, deu nisto. Pareço uma vizinha a conversar à soleira da porta que não arreda pé. É só mais uma cerejinha e um copo três para a viagem

Entre linhas... disse...

Em cada mão sente - se o contacto do carinho,da pureza dos sentimentos.
bjs Zita

Menina_marota disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Menina_marota disse...

Este é um dos tais momentos que me encanta e que me lembrou momentos muito belos passados noutras paragens internautas...
Grata pelas tuas palavras.

Um abraço carinhoso ;))

Poesia Portuguesa disse...

Soltar os sentimentos, é uma forma
de nos darmos a conhecer,
de extravasar ideias,
comungar pensamentos,
diluir a alma.

Não fujas da realidade,
do sol,
da vida,
da palavra oferecida.

Vem...
traz a beleza que encerras
dentro do teu pensamento,
dentro do teu coração.

Vem...
dá-me a tua mão,
e recebe de mim
o coração,
alegria,
paz,
verdade
e paixão.

Entrega-te
serenamente,
comunga
teus pensamentos,
traz magia
onde só existe
solidão.

E,
recebe na palma da tua mão,
um coração aberto à ilusão.

Vem...


Um abraço carinhoso ;))

cm disse...

dá-me a mão...o acto singelo que recebe a mão que se dá...e entre elas cabe o mundo....

um abraço

bettips disse...

E afinal
dá-me a tua mão
porque ainda nos compreendemos
mesmo de passagem.
Guarda-te de mim,
comigo.
Mão e mãos
flutuamos
em vida-aragem.

Beijos, irmã créme de la créme.

Rosa dos Ventos disse...

Este roubo tem perdão! ;-))

Abraço

Anónimo disse...

venha participar em www.luso-poemas.net

vai adorar e para nos sera uma honra
beijinho:)

Maria P. disse...

Que os roubos sejam todos assim!

Beijinho*

Paula Raposo disse...

Excelente!!!!!!!!

Graça Pires disse...

Saíu bem este dar as mãos. Gostei. Um beijo.

Luisa disse...

Dar as mãos parece um gesto tão simples e afinal poucos o fazem. Vemos muita gente de mão dada e com o coração separado. Quando se pede para dar a mão - como nos teus textos - é porque temos a certeza que ela nos é indispensável para vivermos.

mixtu disse...

o dar a mão é dos actos de mais entrega que pode existir...

poesia

abrazo europeu

Nilson Barcelli disse...

Dá-me a tua mão:
vou ler a tua sina
sem te levar um tostão.

Dá-me o teu sorriso:
vou-me atrever a beijá-lo
e fazer-te perder o juízo.

Dá-me o teu olhar:
vou levá-lo comigo
para te mostrar o meu mar.

Desculpa a brincadeira...
Beijinhos.

Bichodeconta disse...

Toubar é muito feio.. Estou a brincar claro, a sério direi apenas que este lugar fica na rota onde virei mais vezes. Um abraçºo Ell

Olhos de mel disse...

Aqui passo momentos de encantamento. Obrigada pela oportunidade que me deste. Muitas vezes precisamos de uma mão pra nos agarrar, de um sorriso pra nos confortar e de um olhar pra sentirmos-nos gente. Lindo!
Fique com Deus!
Bjs.

Luís disse...

Lindo este post minha querida Maria.

Tanta beleza sussurada em uníssono...

tudo ou nada disse...

Lindo, lindo, lindo!!!
Venha visitar o meu cantinho !!!
Beijinhos e uma boa noite!
Sara

alice disse...

e, de mão em mão, passamos uns aos outros as palavras essenciais :)*

bom fim de semana.

amita I disse...

Belíssimo "roubo"... e, encantada pela partilha, agradeço-te.

No seio da mão que me deste
no silêncio de todas as coisas
estremece um ponto de luz
de beleza infinda
e a ternura do caminho
serenamente
acontece

Um bjinho grande, Maria, e uma flor
para um dia lindo

Olhos de mel disse...

Passando pra desejar boa semana e deixar um beijo.

batista filho disse...

Nada pedi, quanto ganhei ao acessar esse espaço!

Um abraço fraterno,

TINTA PERMANENTE disse...

Dizer 'Dar' em vários tons...
Diz a sabedoria popular russa 'O modo de dar vale muito mais que o que se dá'.
Abraço.

Rosmaninho disse...

"Pede o que for permitido porque te será concedido!"
Previlegiados serão aqueles que souberem sentir o teu poema e dar-te as mão, os sorrisos, os olhares!

carteiro disse...

Só para dizer que gostei muito da tua paráfrase :) E que me sinto honrado por ver as minhas palavras no teu espaço!

lamia disse...

(...)"a mão vibra espraiando ondas pelo corpo todo: assim ouço a eletricidade da vibração, substrato último no domínio da realidade"

C.L.

:)

Cândida disse...

dá-me a tua mão
para eu te dar uns bolos
recheados de serrim maciço
:)à Tau-Tau

Anónimo disse...

eu e pedro lopes do site www.luso-poemas.net estamos a pensar fazer uma antologia 100 autores, 100 poemas pela ecopy. Neste projecto cada autor participa com 1 texto. O unico custo que terá é comprar 1 livro, ou seja terá o preço de 12 euros. é um livro que pode estar em qlq loja que qualquer autor arranje para além das muitas lojas onde está presente, pensei em o convidar, se quiser será um prazer:)
resposta para pedro_lopes777@hotmail.com
grande abraço