terça-feira, outubro 30, 2007

A doçura de Outubro (ontem como hoje)



O ano passado publiquei um post a que dei o título de Outubro Doce.






Este ano voltou o sentimento, ao longo de todo o mês, como se me fosse dado viver, neste período, o que de mais pacífico e tranquilo existe na vida. É um tempo lânguido e terno. Um tempo de carinho e de doçura. Um tempo de harmonia e de bem-estar comigo e com os outros: com tudo o que sou e com o que me rodeia. Em Outubro sou feliz. Logo, logo, virá o Novembro, com os seus dias cinzento-escuros e a inevitável melancolia, que contamina a paisagem, traz consigo o desconforto da humidade, a tristeza dos dias curtos e escuros, o frio que penetra a roupa e se infiltra até aos ossos, até à alma.






Entretanto, celebro Outubro... os tons suaves do céu, do mar, da areia, dos tapetes de folhas que se formam em volta das árvores, os sorrisos das pessoas que amo, a calma de um entardecer morno e cúmplice, na maré-vazia, quando a luz é branda e o ar que respiro está impregnado de um misto do cheiro da maresia, numa brisa aconchegante, com o aroma das plantas que povoam as dunas: doce.

19 comentários:

Maria disse...

Só quem conhece ESTE mar o pode entender.....
.... o mar é de quem o sabe amar.....

E nós sabemos, querida Maria....

Beijinhos

Fernanda e Poemas disse...

Olá Maria C., lindas fotos do também meu mar.
O mar é uma alegria constante no nosso coração.
Beijinhos,
Fernandinha

Graça Pires disse...

Está visto: Outubro é o teu mês. O mês em que o mar te invade as veias
para que digas alegria. Um beijo Maria.

Perdido disse...

Ainda bem para ti. Outubro par mim não é fasto. No recomeço do novo ano há sempre uma esperança. Espero que Novembro me cure a melancolia e para ti seja a continuação de Outubro.

M. disse...

Ficou muito bonito este teu post. Todo ele, fotografias e palavras, exprimem bem o teu sentir tranquilo. Gostei muito.

carteiro disse...

Mas há os momentos em que não somos mais do que o que fingimos ser. E nesses momentos de melancolia podemos procurar pedaços desse fingimento, como uma pequena faísca que dê o calor necessário ao não congelamento da alma.
O teu Novembro é, pelo que dizes, o meu agora passado Outubro. E entretanto prometo-me procurar pedaços análogos ao teu Outubro neste meu Novembro.
E também fico a desejar que neste teu Novembro não arrefeça tanto como o costume, se bem que haja aquelas "necessidades" climatéricas inalteráveis. Que a doçura que o teu Outubro, portanto, seja uma chama que ainda demore a apagar...

InkBottle disse...

Como é bom ler o teu português!
Passo sempre por aqui e não me canso.
Obrigada pelas tuas visitas às minhas palavras que se mudaram para:

http://inkb0ttle.blogspot.com/

InkBottle disse...

Espero não estar enganada, mas penso que visitaste alguma vez a "Tinta Preta" deixando um comentário. Caso me tenha enganado, peço desculpa. Posso estar equivocada pelo facto de ter o teu blogue nos meus favoritos.
Mas não é grave, acho eu. E é verdade que te leio muitas vezes. Um beijinho. Fica bem!

APC disse...

Sweet October!
Ontem, como hoje, é um tempo lânguido e terno... Eterno!
Muito bonito, este post!
Terno abraço.

addiragram disse...

O prazer de ver e ouvir cantar a beleza da tranquilidade. Os dois Ó a isso predispõem...Mas é sempre preciso um pouco mais...

Um abraço para ti

Olhos de mel disse...

Lindas imagens! O outono é nostálgico, mas bonito!
Belo post!
Que sua semana seja de realizações!
Beijos

Charlie disse...

Senti a água a escorrer por entre os dedos e a escavar a areia debaixo dos pés. Assim, a caminhar devagar pelo remanso das ondas enquanto o sol se despede calmamente e cede o lugar ao cinzento e frio que aí vem.
Adorei este post. Todos os temas do mar me fascinam.
Tem uma bela semana...

Carlos

vida de vidro disse...

Lindo, o teu texto. Parece-me entretanto que podes continuar a celebrar Novembro que mais parece Primavera que Outono. O Inverno virá. Até lá, deixemo-nos impreegnar da doçura do ar. **

bettips disse...

Afecto, sim! e como explicável? Por cordas de violino ou teclas de piano ou velas de navio...
Algo faz sentido, num Outono em que procuramos apoio nas cores, antes da cinza. Um beijinho, Rosa suave!

Bichodeconta disse...

Ao som das ondas, estarei sempre onde seja possivel ver e ouvir o mar.. Deixo um abraço, bom fim de semana..

APC disse...

Um bom S. Martinho para ti! :-)))

Besnico di Roma disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Besnico di Roma disse...

Entrei discretamente neste teu “post”. Em silêncio, para não perturbar a tranquilidade deste Outono. Sentei-me e fiquei aqui a absorver pelos sentidos, o aroma do mar, a doçura dos elementos, o som desta música que se mistura com o longínquo murmúrio do mar.
Por isso tive um bom dia, e a ti o devo.

Paula Raposo disse...

Qualquer fotografia do mar é linda!! Adoro o mar.