segunda-feira, janeiro 30, 2006

The Doors of Perception - Heaven and Hell

[...]
"We see that there are in nature certain scenes , certain classes of objects, certain materials, possessed of the power to transport the beholder's mind in the direction of its antipodes, out of the everyday Here and towards the Other worlds of Vision. Similarly, in the realm of art, we find certain works, even certain classes of works, in which the same transporting power is manifest."[...]
Turner (Téméraire)
[...]
"Visionary experience is not the same as mystical experience. Mystical experience is beyond the realm of opposites. Visionary experience is still within that realm. Heaven entails hell, and "going to heaven" is no more liberation than is the descendent in to horror. Heaven is mereley a vantage point from which the divine Ground can be more clearly seen than on the level of ordinary individualized existence.
If consciousness survives bodily death, it survives, presumably, on every mental level - on the level of mystic experience, on the level of blissful visionary experience, on the level of infernal visionary experience, and on the level of everyday individual existence." [...]

Turner (Slave ship)


Excerpts from "The Doors of Perception - Heaven and Hell" by Aldous Huxley

5 comentários:

João Villalobos disse...

Olá Maria,
Os postes estão de facto relacionados, um e outro completam-se no abordar de um mesmo tema. O qual, diga-se, é inesgotável...1 beijo :)

O Ciumento disse...

Belísimas imagens, Maria. E muito adequadas. O problema principal, quanto a mim, não é o de abarcar a experiência mística, ou outra supra-sensorial, sem a viver, sim como expressá-lo com recursos demasiado deste mundo.
Beijinhos.

maria disse...

Querido Paulo,
como seria de esperar, nem o ciúme te tolda o discernimento, (hihihi). Os teus comentários são, sempre, um contributo altamente valioso para o que vou "postando", pela assertividade da análise em evidente economia de recursos.
Beijos.

Isabel José António disse...

Eu quase nem acredito! Ainda há pouco tempo estive a ler e a meditar sobre a obra do Aldoux Huxley e cheguei à conclusão que esse seu trabalho abre realmente as portas para uma outra realidade, que só os místicos (e por vezes, os loucos) conhecem bem.

"The Doors of Perception" foi algo que me tocou profundamente pela revelação de que às vezes, naquela relva ou naquela árvore que está na nossa frente, se oculta um mundo de revelação, de cor transbordante, de luminosa "beingness"!!!

Enfim, parabéns mais uma vez!

Isabel

maria disse...

Obrigada pelas suas palavras sempre tão encorajadoras, Isabel.
Um beijinho.